Museu dos Povos Acreanos é inaugurado por Gladson no dia que se comemora a revolução acreana

Depois de 6 anos em construção, finalmente, a obra do Museu dos Povos Acreanos foi inaugurada neste domingo, 6, data em que é comemorada a Revolução Acreana, em grande solenidade organizada pela Fundação Elias Mansour, em Rio Branco.

Iniciada em 2017, o diretor-presidente da Fundação Elias Mansour (FEM), professor Minoru Kinpara, revelou que o valor da obra ultrapassa os R$ 18 milhões – entre a constituição e aquisição de equipamentos. Segundo ele, a obra é uma das mais bonitas do Brasil. “Um espaço histórico, o governo reformou e hoje está sendo inaugurado como o Museu dos Povos Acreanos. Isso, o museu é a definição do espaço que preserva a história, a cultura e a identidade do povo”, explicou.

Kinpara disse ainda que o espaço cultural estará aberto nos finais de semana. “Todos esses espaços estarão abertos, inclusive sábado e domingo, porque o museu precisa ficar aberto, não justifica a população trabalhar durante a semana? Qual é o momento que tem pra trazer a sua família? Um feriado, no sábado e domingo. Esses espaços terão uma agenda cultural intensa durante esses dias da semana. Vamos funcionar aqui também com a Academia de Letra”, avaliou.

O governador Gladson Cameli (PP) disse que é um momento de alegria inaugurar um museu que faz o resgate da história do Acre e ainda reconheceu o trabalho feito pela equipe de Tião Viana. “Esse museu tem uma história do nosso Acre e nos sentimos felizes por poder entregá-lo. Importante estarmos aqui no dia da revolução acreana para relembrarmos toda nossa história. Importante termos consciência da nossa história, do nosso passado que nos faz um povo forte. Nós valorizamos a história. Esse museu foi iniciado no governo Tião Viana e em reconhecimento nós o convidamos”, declarou.

O prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom (PP) disse que o Museu dos Povos Acreanos aqui do Acre será de fundamental importância para mostrar a cultura acreana. “Olha primeiro de tudo que esse museu é fundamental e vai mostrar o museu. Aqui vamos mostrar a cultura do nosso povo indígena que é que originou o nosso estado, não tenho dúvida nenhuma que também vai mostrar o que o Acre tem de bom, os nossos guerreiros seringueiros que foram ao longo do tempo, abriu e desbravaram o nosso arco pra gente chegar onde tá hoje aqui. Então eu estou feliz em participar disso daqui e o Governo do Estado está de parabéns, porque é uma obra que vem se arrastando a quanto tempo”, ressaltou, dizendo que em sua gestão, aumentou o recurso da cultura para R$ 2 milhões.

Representando o ex-governador Sebastião Viana, a sua esposa, ex-primeira dama Marlúcia Cândido, elogiou a obra que vai fortalecer a cultura no Acre. “O Museu dos Povos Acreanos é um espaço de cultura; temos que enxergar nele a nossa história, enxergar nosso passado, pra entender como é o nosso presente e traçar o caminho para o futuro. Então, o projeto contempla a nossa história, de quando éramos apenas floresta. Eu acredito que o governador Gladson tenha tido essa visão. A gente fica muito feliz. O Tião tá em Brasília no pós-doutorado, pra ele não foi possível vir, mas pediu que eu viesse, e nossa filha também”, destacou.

A direção da FEM também anunciou uma programação para toda a próxima semana, que inclui exibição de documentários, shows e outras apresentações culturais.

Marcaram presença na solenidade, a vice-governadora Mailza Assis, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Luiz Gonzaga, o deputado estadual Nicolau Júnior, o Procurador-Geral do Ministério Público, Danilo Lovisaro, o vereador Ismael Machado, o secretário de educação, Aberson Carvalho e demais autoridades de Estado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × 5 =