Uma eleição provinciana!

Eleição para prefeito e vereador é notadamente uma eleição provinciana, ou seja, quase nada de influência da política nacional ou das ideologias no processo. Em municípios do Acre e de outros estados, por exemplo, ninguém se espante com as alianças entre o PT de Lula e o PL do Jair Bolsonaro. Discussões nesse sentido já estão em andamento. Sendo assim, essa guerra de que determinado candidato é de esquerda e comunista e de que o outro é de direita e nazista não vai colar.

As eleições de 2018 e 2022 foram marcadas por esse confronto ideológico idiotizado. E, hoje, no andar de cima, se Lula é o ex-presidiário, a Polícia Federal está no calcanhar de Bolsonaro pelo desvio e comercialização clandestina de jóias, Rolex e presentes destinados ao patrimônio público. Isso é roubo! Portanto, e apesar do esforço, o capitão e seus assessores, não são mais as virgens de clubes de antigamente em Rio Branco como: Porta Aberta, Tabira e Taboquinha (pesquisem com os mais antigos).

Logo, na próxima eleição, candidatos e seus marketeiros deverão propor pautas para melhorar a vida das pessoas, como questões de saneamento básico, água, saúde, educação, pavimentação de ruas, ramais e ações locais que agradem ao eleitor. A moral e os bons costumes como motes de eleições passadas começam a cair desuso. Além disso, conversa fiada e ideologia barata de candidato não gera emprego, renda e também não enche a barriga de ninguém.

“De moral e bons costumes o inferno está cheio”. (para-choque de caminhão)

. Cerca de R$ 26 bilhões estão destinados ao Acre no novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e tem gente achando que é pouco.

. Apesar de ter o apoio incondicional do governo, da bancada federal e dos eleitores acreanos, o ex-presidente Bolsonaro não quis investir no Acre;

. Na verdade, investiu umas poucas ruelas.

. Mas era o capitão!

. O capitão é o capitão!

. É ou não é o capitão, irmão?!

. O certo é que o capitão caiu na malha fina da Polícia Federal no caso das joias;

. Se o problema do Fernando Collor foi um carro Elba de pouco valor, no de Bolsonaro são jóias e um relógio Rolex.

. Seu Raimundo, beirando os 90 anos, costuma dizer:

. “Se eu tivesse de sujar meu nome na vida não seria por umas porcarias dessas não”.

. Com a presença de Marcus Alexandre, o MDB de Brasiléia convenceu a ex-deputada Leila Galvão a disputar a eleição ano que vem.

. Pelo visto, aceitou!

. Apesar da bandalheira e canalhice política feita pelos adversários, nada impede que Leila Galvão possa concorrer à eleição.

. Na verdade, bateu o desespero na situação!

. O mundo é assim:

. Roda mundo/ roda gigante/roda moinho, roda pião…

. Quem diria, né?!

. Dia desses o Bolsonaro era o presidente do Brasil e o Lula estava preso; os papéis estão se invertendo… já pensou se o Bolsonaro for preso?!

. O Bolsonaro criou o bolsonarismo e parece que ele mesmo está acabando.

. Mundo mais doido!

. “A vida e a morte estão no poder da língua; aquele que bem a utiliza comerá do seu fruto”. (Salomão).

. Com uma chuvinha dessas fora de tempo, a situação dos ramais pioram.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 1 =