Prefeitura realiza caminhada de conscientização e combate às violências contra todas asmulheres

O combate à violência contra as mulheres deve ser feito diariamente. Por isso a Prefeitura de
Rio Branco tem intensificado suas ações que visam levar mais conscientização à população.
Nessa quinta-feira (24), uma equipe da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos
Humanos (SASDH), acompanhada dos servidores do Centro de Referência em Assistência
Social (Cras) Cidade do Povo, realizou uma palestra com as mulheres do conjunto habitacional.
O encontro reuniu algumas mulheres que fazem parte do Serviço de Convivência e
Fortalecimento de Vínculos (SCFV) e do Serviço de Proteção e Atendimento Integral à
Família (PAIF), onde nesse espaço puderam debater sobre os diversos tipos de violência
praticados contra as mulheres e quais são os meios disponíveis para realizar a denúncia.
“As mulheres precisam entender que não podem mais aceitar essa situação de estar no
meio da violência, que você pode ser violada, porque a violência não é só física, mas
também intelectual”, disse a agente social do Cras, Thayane Sayonara.
Após a palestra, houve um momento de concentração em frente ao Cras à espera de
mais mulheres para participar da caminhada pela Cidade do Povo, realizando a entrega
de panfletos informativos. A diretora de Direitos Humanos da SASDH, Rila Freze,
destacou a importância dessas ações cujo objetivo é levar a informação até as mulheres
que estão em seus lares.
“A importância é conscientizar, chegar até as pessoas que não podem vir até aqui, fazer
a conscientização individual em suas casas, cada vez mais conscientizar a população de
que é importante a denúncia no caso da violência contra a mulher, mesmo com a
prefeitura trabalhando continuamente todo o ano, mas no mês de agosto intensificamos,
por ser o mês de aniversário da Lei Maria da Penha.”
Em 2023, a Rede de Observatórios da Segurança registrou 2.423 casos de violência
contra a mulher, ou seja, a cada quatro horas, em média, uma mulher é vítima de
violência. A maioria dos registros destaca como autor da violência companheiros e ex-
companheiros das vítimas, sendo eles os responsáveis por 75% dos casos de
feminicídio. As principais motivações são brigas e términos de relacionamento.
Tendo em vista esse dado, Francisca Ferreira que já sofreu violência física por seu ex-
companheiro deixa um recado para todas as mulheres que possam estar passando por
essa situação.
“O recado que eu tenho a dizer é que ela deve procurar uma ajuda porque começa com
um simples tabefe até findar a morte, porque ele diz que muda, mas eu digo, por
experiência própria, que não, se eu não tivesse deixado ele, talvez eu não estaria aqui”,
desabafa.
Caso você esteja sofrendo algum tipo de violência ou conheça alguém que está, basta
ligar de qualquer telefone, para o número 180, que é a Central de Atendimento à
Mulher. O atendimento é gratuito e a central está disponível 24 horas por dia, em todas
as cidades do país. Outro canal que também está disponível é o disque 100 para

denunciar violação de direitos humanos. Além disso, você também pode estar indo até
uma unidade de saúde do seu bairro para fazer a denúncia.

imagens:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × quatro =