STF retoma análise do Marco Temporal das Terras Indígenas nesta quarta com tensão sobre o voto de Zanin

Às vésperas da retomada do julgamento sobre o Marco Temporal das Terras Indígenas no STF (Supremo Tribunal Federal), nesta quarta-feira, 30, o voto do ministro Cristiano Zanin tem se tornado alvo de disputa. Nesta segunda-feira, 28, o magistrado se reuniu com a senadora Tereza Cristina (PP) e com o líder da oposição ao governo no Senado, senador Rogério Marinho (PL). Já nesta terça, 29, o ministro recebe a ministra dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara, para uma visita. 

O posicionamento de Zanin sobre a determinação do marco temporal tem preocupado integrantes do governo Lula (PT), que consideraram as últimas decisões do ministro muito conservadoras. No último sábado, 26, Zanin votou contra o reconhecimento de uma ação sobre violência policial contra os povos Guarani Kaiowá no Mato Grosso do Sul. O ministro acompanhou o voto do relator Gilmar Mendes e ficou ao lado de Kássio Nunes Marques e André Mendonça, ambos ministros indicados pelo ex-presidente Jair Bolsonaro, o que desagradou a base governista.

Na semana passada, Zanin ainda foi o único a votar contra a descriminalização do porte de maconha, estabelecendo o placar em 5 a 1 pela liberação. No julgamento do marco temporal, já votaram o relator do caso, Edson Fachin, e o ministro Alexandre de Moraes, ambos contrários ao marco temporal. Nunes Marques foi o único a votar favoravelmente á tese que prevê que só devem ser demarcadas áreas em que os povos indígenas provem a ocupação até 5 de outubro de 1988, data da promulgação da Constituição.

A apreciação do marco temporal será retomada com o voto do ministro André Mendonça, que pediu vista na última sessão, em junho deste ano, na sequência é esperado o voto de Zanin. A tese do marco temporal também está em debate no Congresso, onde já foi aprovada pela Câmara dos Deputados. A medida agora tramita no Senado, onde foi aprovada na Comissão de Agricultura e deve passar pela Comissão de Constituição e Justiça antes de ir ao plenário.

fonte: https://diariodoacre.com.br/stf-retoma-analise-do-marco-temporal-das-terras-indigenas-nestar-equarta-com-tensao-sobre-o-voto-de-zanin/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × um =