Inmet emite alerta vermelho de grande perigo para nove estados

O aumento da intensidade da onda de calor que afeta o Brasil fez o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) aumentar, nesta quarta-feira (20), o nível do alerta e colocar mais estados sob um aviso de “grande perigo” por causa das temperaturas acima da média.

A onda de calor começou na segunda-feira (17) e deve ter o ápice neste fim de semana, com tendência de ainda afetar regiões do interior na próxima semana. Em algumas localidades, são previstas marcas na casa dos 43°C. 

O mais recente alerta do Inmet é da categoria “vermelho”, que significa “grande perigo”. Ao todo, são nove estados sob o alerta: 

  1. Minas Gerais (MG)
  2. Paraná (PR)
  3. Rio de Janeiro (RJ)
  4. São Paulo (SP)
  5. Mato Grosso (MT)
  6. Pará (PA)
  7. Goiás (GO)
  8. Mato Grosso do Sul (MS)
  9. Tocantins (TO)

O alerta é válido até as 18h de domingo. De modo geral, um alerta vermelho, segundo o Inmet, é emitido quando é esperado um fenômeno meteorológico de “intensidade excepcional, com grande probabilidade de ocorrência de grandes danos e acidentes, com riscos para a integridade física ou mesmo à vida humana”. 

Antes do alerta vermelho, estava em vigor um aviso meteorológico de nível laranja (que significa perigo). Ele estava válido para sete estados: TO, SP, PR, MT, MS, MG e GO. 

Os comunicados do Inmet ocorrem quando o Centro-Sul do país vive uma onda de calor atípica. Ela vai chegar ao ápice, com prováveis recordes, no fim de semana. A elevação dos termômetros tem relação direta com o El Niño muito mais rigoroso neste ano e com a Crise do Clima (causada pela emissão de gases de efeito estufa), que torna os eventos climáticos extremos mais comuns

Cuidados básicos

O calor excessivo diminui a umidade relativa do ar, o que pode levar a problemas respiratórios, ressecamento da pele, desconforto nos olhos, boca e nariz. O órgão orienta que as pessoas bebam bastante líquido, não façam atividades física, evitem exposição ao sol em horários mais quentes do dia, usem hidratante para pele e umidifiquem o ambiente. 

Tempo seco pode agravar quadros respiratórios; veja dicas para enfrentar a baixa umidade

Tempo seco pode agravar quadros respiratórios; veja dicas para enfrentar a baixa umidade 

Previsão da onda de calor

Os meteorologistas indicam que, no Rio Grande do Sul, os temporais persistem até o fim de semana, e o ápice da onda de calor no Centro-Sul do país está prevista para o mesmo período, entre sexta-feira (22) e domingo (24). 

🥵 Mas, na próxima semana, os brasileiros também vão conviver com altas temperaturas. 

“O período muito quente deve se estender pela primeira semana da primavera e algumas áreas pelo interior do Brasil podem até conviver com temperaturas muito altas até quase o fim de setembro”, afirma a Climatempo.

Áreas mais afetadas, segundo a Climatempo

De acordo com a Climatempo, temperaturas iguais ou acima dos 40°C serão registradas, “por vários dias”, em áreas como: 

  • norte do Paraná;
  • oeste e norte de São Paulo;
  • oeste de Minas Gerais (incluindo o Triângulo Mineiro);
  • Mato Grosso;
  • Mato Grosso do Sul;
  • Goiás;
  • oeste da Bahia;
  • interior do Maranhão;
  • interior do Piauí;
  • Tocantins;
  • sul/leste do Pará; e
  • Rondônia.

“É preciso ter em mente que fazer 40°C em setembro no Centro-Oeste, Norte e interior do Nordeste é comum, não é nada demais. Mas, falar em 42°C, 43°C, 44°C, aí já é algo realmente especial, fora do comum”, afirma nota da Climatempo. 

No acompanhamento da MetSul, há previsão de marcas ainda mais severas. “Em pontos isolados do Centro-Oeste e da Região Sudeste, os modelos numéricos chegam a projetar marcas ainda mais altas como 43ºC a 45ºC no final desta semana e durante o próximo fim de semana, em particular no Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no interior de São Paulo”, afirmou, em nota, a meteorologista Estael Sias. 

Entenda a crise do clima em gráficos e mapas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 5 =